Home Itaquera & Região Itaquera caos total!

Itaquera caos total!

1102
0
COMPARTIHAR

A aposta na nova administração municipal foi alta.  Assim como as esperanças de morar e trabalhar  em um bairro melhor. Mas com o passar dos meses, Entidades, moradores, comerciantes, investidores e todos aqueles que lutam por Itaquera viram o sonho se tornar um grande pesadelo. Inércia, falta de conhecimento, despreparo das Prefeituras Regional e Municipal? O que está acontecendo? Confira alguns dos principais problemas enfrentados diariamente por todos e que parecem estar bem longe de uma solução definitiva.

Desde o momento em que o itaquerense soube da construção do estádio e que a abertura da Copa do Mundo de 2014 seria na Arena do Corinthians, criou-se a expectativa de que, a partir daquele anúncio, tudo seria diferente. O que de certa forma foi, mas não como se almejava. Os olhares se voltaram para a região e os trabalhos para receber a competição começaram. Até que o grande evento chegou, teve início, meio e fim. E as mudanças?
O tempo passou, uma nova eleição para Prefeito chegou e João Doria foi eleito no primeiro turno. Mais um momento de grande esperança para o itaquerense. Com vontade de trabalhar, ele desvinculou a escolha dos representantes regionais dos vereadores e a direcionou, de certa forma, à população.
Em Itaquera, depois de três audiências que contaram com a participação de moradores, lideranças e diversas Entidades, como o Núcleo de Desenvolvimento de Itaquera (NDI) e a Câmara dos Dirigentes Lojistas de Itaquera (CDLI), chegou-se à indicação, no início de 2017, dos nomes de 14 candidatos, para ocupar o cargo de Prefeito Regional.
Terminado este processo, o veredito para efetivação de sua nomeação estava então nas mãos do vice-prefeito e secretário municipal de Coordenação de Prefeituras Regionais, Bruno Covas. E assim Itaquera teve a oportunidade de ter, finalmente, um morador à frente da sua administração municipal. A aposta foi alta, como os votos de morar e trabalhar em um bairro renovado e com os seus problemas de zeladoria solucionados.
Mas com o passar dos meses (já são seis da gestão João Doria), os moradores começaram a perceber que nem tudo está saindo como se imaginava. Apesar da importância e potencial de Itaquera, a região segue esquecida e com sérios problemas. A Prefeitura, através de prêmios aos seus gestores regionais atuais, tenta vedar os olhos e não ver as inúmeras lacunas que a região apresenta.
Segundo nossas fontes, a Prefeitura Regional Itaquera segue com erros primários de administração, como a perda de prazos que prejudicam a zeladoria do bairro.
Na tentativa de corrigir os problemas, a Prefeitura realiza mutirões, uma solução paliativa, onde o verdadeiro trabalho é realizado por munícipes, que doam seu tempo e esforço por um bairro melhor.
Itaquera precisa de mais atenção. O itaquerense deve ser valorizado. O bairro precisa se desenvolver.
Confira alguns dos principais problemas que a região tem enfrentado ao longo dos anos e as lutas das Entidades por soluções, sendo que muitos deles são recorrentes ou não têm a devida atenção do município para serem solucionados.

 DA SEDE PRÓPRIA PARA O ALUGUEL 

O Núcleo de Desenvolvimento de Itaquera (NDI) e a Câmara dos Dirigentes Lojistas de Itaquera (CDLI) estão em cima da Prefeitura para que o atendimento da Prefeitura Regional Itaquera retorne ao seu antigo endereço: a Rua Gregório Ramalho. O prédio era da administração municipal, mas foi transferido para a Secretaria Municipal da Cultura, para uma grande obra que acabou sendo embargada através de Ação Judicial com demolição. Ou seja: um elefante branco que ninguém chega a uma decisão. Segundo as Entidades, o que se gasta atualmente com aluguel poderia facilmente ser investido em uma obra, ajudar na revitalização do centro de Itaquera e a centralizar todos os setores em um prédio só. Até a biblioteca poderia estar nesta estrutura. E tem espaço para solucionar a falta de vagas para carros com a construção de um estacionamento no local, com dois subsolos. Quase um quarteirão na área central de Itaquera e mais valorizada.

 NOVO FÓRUM: FALTA VONTADE? 

O Fórum de Itaquera precisa com urgência de um prédio que atenda as suas necessidades estruturais básicas e também ofereça funcionalidade e conforto aos profissionais que lá trabalham, aos advogados e as pessoas que buscam pelos seus serviços. Pensando nisso, o Núcleo de Desenvolvimento de Itaquera (NDI), a OAB Itaquera e outras lideranças locais, encabeçaram uma campanha e conseguiram a doação, por parte da Prefeitura, ao Governo do Estado, do terreno em frente à Fatec/Etec Itaquera e da estação do Metrô Corinthians-Itaquera, para a construção do tão necessário novo Fórum. Entretanto, cabe ainda à Prefeitura finalizar o processo da doação para que o Governo do Estado possa assumir o terreno formalmente e dar início aos trâmites para a construção das instalações. As perguntas que todos fazem são as seguintes: não caberia a união entre os governos municipal e estadual (que são do mesmo partido) para resolver de vez a transferência? Um encontro entre o Governador Geraldo Alckmin e o Prefeito João Doria não poderia ser intermediado por Entidades e pela Prefeitura Regional?

 QUANTA MOROSIDADE! 

Basta dar algumas voltas no bairro para notar o abandono das praças. As Entidades CDLI e NDI (através de um projeto que visa solucionar o problema que o poder público não é capaz) continuam à espera da liberação da Prefeitura Regional Itaquera para que parceiros associados às Entidades possam retribuir, fazendo a sua parte social, adotando as seguintes áreas para zeladoria: praça entre a Rua Tomazzo Ferrara com a Avenida Itaquera, Praça do Coreto (entre a Rua Álvaro de Mendonça com a Rua Augusto Carlos Bauman), Praça Agostinho Rodrigues Marques, Praça da Delegacia do 32º DP de Itaquera, praça entre a Rua Lagoa Salgada com a Avenida Pires do Rio, Praça da Estação, praça entre a Rua Ituberá com a Avenida Pires do Rio, e Praça Portal Dom Bosco.

 ASFALTO: CAOS TOTAL 

Será que o bairro de Itaquera tem alguma rua livre de buracos? Claro que deve ter, só que no momento os moradores só encontram ligações inacessíveis e repletas de pequenos, médios e grandes buracos. Na Rua Mateus Mendes Pereira, um cone alertava sobre o problema. Na Rua Carlo Albacine, no Conjunto José Bonifácio, os vários buracos estão fazendo, mais uma vez, aniversário. Praticamente inacessível em alguns trechos, a Rua Hirovo Kabinovo, acesso de estudantes a um colégio da região, não tem mais buracos, e sim crateras, que chegam a consumir as duas pistas, colocando diariamente em risco crianças e adolescentes. Também deve-se mencionar os enormes buracos na Avenida Miguel Ignácio Curi, que serve de acesso para a Avenida Radial Leste e o Terminal Urbano Itaquera. O asfalto também encontra-se muito ruim nas ruas Guichi Yoshioka e Américo Salvador Novelli, nas avenidas Afonso de Sampaio e Souza, Itaquera, Líder, Aricanduva e Jacu-Pêssego. Estes são alguns dos exemplos que mostram que as ações realizadas de tapa-buraco não estão sendo suficientes para atender a grande demanda da região. É preciso disponibilizar mais equipes para atuar no bairro de Itaquera (José Bonifácio, Cidade Líder e Parque do Carmo).

 PROSTITUIÇÃO E DETERIORAÇÃO 

Uma das mais importantes ligações viárias da região, a Avenida Afonso de Sampaio e Souza, sofre com os dois problemas. Os moradores fazem de tudo para impedir que a prostituição invada as ruas residenciais do Parque do Carmo. Até rondas em grupo são realizadas por eles. Recentemente faixas foram colocadas nas principais ruas frisando que o bairro é familiar. Outra situação que pede a atenção das autoridades é a total falta de infraestrutura na referida avenida. Há anos ela segue intransitável e os buracos são recorrentes. A sinalização de solo é precária, assim como o calçamento e a iluminação.

 SISTEMA DE SAÚDE DOENTE 

 O leitor Alex Xavier encaminhou uma denúncia à redação: o descaso e a falta de respeito com os usuários e funcionários da UBS Vila Regina, em Itaquera. De acordo com ele, há mais de um ano se busca uma solução para dois problemas. O primeiro diz respeito a um abacateiro dentro da unidade, junto ao portão de acesso, e que faz divisa com a Escola Municipal Ayres Martins Torres e a calçada. “Essa árvore coloca em risco a vida de toda a população local. Os frutos caem constantemente. Como conselheiro de saúde da unidade, venho buscando junto com os outros conselheiros, uma ação da Prefeitura Regional para solucionar o problema e prevenir um dano maior, possível lesão ou morte”. O segundo problema é a infestação de cupins na unidade. “Os cupins já destruíram muitos móveis e prontuários, o que coloca em risco o acompanhamento clínico e de tratamento; pode colocar em risco também o material utilizado, além dos medicamentos. Isso é muito grave e a Prefeitura se mostra descompromissada com a situação. Já foram feitas denúncias na Prefeitura Regional Itaquera e também notificado o Prefeito Regional, mas nada foi feito, nem dado resposta até a presente data”, desabafou.
Na edição anterior do Jornal Desenvolve Itaquera o leitor Jefferson da Silva fez um alerta quanto à necessidade de se melhorar o atendimento nos postos de saúde da região, e chamou especial atenção para a UBS Itaquera, na Rua Américo Salvador Novelli. Uma das queixas foi a demora para atender quem vai à unidade para marcar exames. Outro importante hospital que está à espera de reformas é o Planalto. A reportagem chegou a encaminhar algumas perguntas à Secretaria Municipal da Saúde referentes a atendimento, ao possível fechamento de algumas AMAs e da diminuição do serviço de radiologia. Mas, até o fechamento desta edição, nenhuma resposta foi encaminhada. Novamente a demora na comunicação determina o ritmo de desenvolvimento de Itaquera.

 

 

 ESTE É O LEGADO DA COPA? 

Para você, leitor do Jornal Desenvolve Itaquera, qual foi o legado da Copa do Mundo de 2014? Consequentemente as respostas serão as mais diversas. Mas o que de fato se esperava era que muitas das demandas locais pudessem ter sido resolvidas, como os problemas das enchentes, da falta de acessibilidade, das ocupações irregulares, da falta de equipamentos básicos de saúde e, principalmente, que os investidores vissem a região com outros olhos e investissem mais. É claro que muita coisa boa aconteceu, como as obras parciais do sistema viário no entorno do estádio do Corinthians e o fato do bairro ter se tornado conhecido. Mas não passou disso. Muitas obras não foram concluídas (caso do novo Terminal Urbano Itaquera), o Parque Tecnológico não saiu do papel, assim como as já citadas obras do Fórum, do Sistema Binário, do BRT Jacu, entre muitos outros projetos. E tem mais: sabe aqueles dois elevadores anexos à passarela do Metrô que estão deteriorados? Eles não pertencem à Companhia do Metropolitano (Metrô) e só vão voltar a funcionar quando o novo Terminal Urbano Itaquera estiver concluído. Este é o legado da Copa?

 LINHAS DE ÔNIBUS 

Também chegou à redação a reclamação de que a região não conta mais com grande parte das linhas de ônibus de que dispunha em anos anteriores. No Conjunto José Bonifácio, por exemplo, moradores falaram da retirada de linhas importantes para bairros vizinhos, assim como a diminuição de linhas para o Terminal Corinthians-Itaquera. Na Rua Jardim Tamoio, não tem mais ônibus para o Terminal Carrão, Metrô Belém e com destino a Santo André. E na Rua Bartolomeu Ferrari não há mais ônibus para o Metrô Tatuapé e ao bairro da Penha. Outra reivindicação é a criação de uma linha circular entre as estações do Metrô Itaquera e Dom Bosco, passando pelo centro de Itaquera, com o objetivo de revitalizar o comércio da região.

 INÉRCIA DA REGIONAL? 

Moradores e Entidades locais reclamam que estão cansados de encaminhar ofícios à Prefeitura Regional e não obterem uma resposta rápida e objetiva. De acordo com eles, o órgão trabalha com processos burocráticos que impedem a solução eficaz dos problemas. Nesta e em outras edições do Jornal Desenvolve Itaquera, exemplos não faltam. Uma das principais solicitações está na área de zeladoria, que deixa a desejar em seus quatro distritos: Itaquera, José Bonifácio, Parque do Carmo e Cidade Líder.

 BASE POLICIAL INACABADA 

As Entidades NDI e CDLI estão à espera de uma definição da Prefeitura Regional Itaquera para dar prosseguimento à construção do espaço que irá servir como base para a Polícia Militar, na Praça da Estação. Este é mais um entrave que gera dificuldades à população flutuante da região. Depois do fechamento do Centro Gastronômico, os problemas relacionados à falta de segurança e zeladoria aumentaram no endereço. Sem iluminação adequada à noite, o local se torna um perigo, principalmente para quem espera o ônibus no ponto próximo. Outros pontos na região central de Itaquera carecem de policiamento e bases móveis. Até quando as Entidades terão que esperar para concluir esta obra que só traz benefícios à população?

 PARQUES E PRAÇAS ESTÃO ABANDONADOS 

Os parques e as praças da região também estão sofrendo com a falta de equipes para a sua manutenção e zeladoria. Na edição retrasada do Jornal Desenvolve Itaquera, a reportagem destacou que o Parque do Carmo recebeu um mutirão no dia 27 de abril, que contou, inclusive, com a presença do prefeito João Doria. A ação tem sido comum e uma alternativa até que o novo processo de licitação esteja concluído. A diferença, neste caso, é que o Parque do Carmo está na lista dos espaços verdes habilitados para receber concessão, ou seja, que um parceiro privado cuide de sua administração, por um tempo determinado. E, através desta parceria, outros dois parques da região poderiam ser apadrinhados: o Parque Linear Rio Verde e o Parque Raul Seixas. Ambos também estão com sérios problemas com relação à falta de corte do mato, entre outros serviços básicos que não estão sendo realizados pela Prefeitura, por ainda não ter fechado o contrato com uma empresa terceirizada, a fim de solucionar o problema. As Entidades NDI e CDLI intermediam o projeto “Adote uma Praça” e seguem no aguardo das respostas da Prefeitura Regional para algumas adoções.

 LEGALIZAÇÃO DO COMÉRCIO IRREGULAR 

Outro problema é causado pela venda irregular nas ruas. Os camelôs prejudicam o comércio legalizado, pois não pagam impostos. Uma solução seria a regularização destes vendedores com o cumprimento fiscal e a emissão de TPUs. Além disso, as Entidades sempre ouvem reclamações por parte de quem tem comércio, da presença de camelôs em frente dos seus estabelecimentos. A Câmara dos Dirigentes Lojistas de Itaquera (CDLI) presta assessoria jurídica, de divulgação e capacitação, através de parcerias com o Sebrae e o Senac, aos lojistas.

 PARADAS DE ÔNIBUS ANTIGAS 

O novo mobiliário urbano da cidade extingue os pontos de madeira. Agora os totens são na cor marrom e de aço, e os abrigos envidraçados com bancos e acessibilidade. Mas em Itaquera, muitos endereços não têm o novo totem, muito menos o novo modelo de abrigo. Será que há alguma restrição quanto ao bairro? Por que este mobiliário está incompleto na região? A Rua Professor Hasegawa, acesso a uma zona industrial da região, onde diversos trabalhadores a utilizam para se locomover ao serviço, está entre os logradouros onde menos se vê o novo mobiliário. As pessoas esperam a condução sem nenhuma proteção em dias de chuva e sol fortes. Esta é mais uma questão que merece atenção da Prefeitura Regional Itaquera no sentido de comunicar a secretaria responsável e, desta forma, oferecer mais conforto aos itaquerenses. As Entidades NDI e CDLI vêm trabalhando também nesta questão.

 PROPAGANDA IRREGULAR: SEM FISCALIZAÇÃO 

A Lei Cidade Limpa está aí para combater qualquer tipo de propaganda irregular que venha poluir fachadas, muros, postes e o mobiliário urbano. A própria Prefeitura em seu site pede para que as pessoas denunciem através do 156. Entretanto, as Entidades NDI e CDLI protocolaram vários ofícios com referidas solicitações, mas não foram respondidos. Do outro lado, as Prefeituras Regionais dizem que contam com profissionais para tirar as principais dúvidas da população sobre o assunto. Entretanto, o que se vê nas ruas são muitos locais com propagandas afixadas do tipo lambe-lambe. De acordo com a própria Prefeitura Regional Itaquera, os agentes vistores da Supervisão de Fiscalização, quando conseguem localizar o endereço, que normalmente não consta nos planfletos colocados nos postes, lavram a multa. Mas será que através dos telefones divulgados não dá para chegar no infrator?

 OBRA PELA METADE 

Os corredores de ônibus Líder e Itaquera são reflexo da falta de planejamento quanto à sua realização. Sem os repasses de verbas do PAC (Governo Federal) o que se vê ao longo dessas ligações é um misto de abandono com falta de zeladoria. Há muito mato, entulho e placas deterioradas. Além disso, os corredores das avenidas Osvaldo Pucci, Adriano Bertozzi e Afonso de Sampaio e Souza, precisam ter horários que ajudem os comerciantes, e não os prejudiquem ainda mais em relação ao estacionamento de veículos.

 DIVULGAÇÃO INEFICIENTE 

Tanto a CDLI quanto o NDI voltam a pedir para que seja marcado um encontro com o Secretário Municipal de Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo. O intuito é reforçar o pedido da presença de um técnico, na sede da Prefeitura Regional, para explicar aos empresários sobre a isenção de impostos do Setor de Serviços. Recentemente o Jornal Desenvolve Itaquera publicou que mudanças seriam feitas para ampliar o programa, só que o grande problema é que há pouca divulgação e muitos acabam deixando de apostar na região. Até agora, nossa reportagem conseguiu apurar somente duas empresas beneficiadas: uma que se instalou na região através do benefício e outra que já estava na região e hoje aumentou seu potencial. O número ainda é muito baixo.

 LUTA PELA REABERTURA 

Para que o Centro Gastronômico volte a funcionar na Praça da Estação, o Núcleo de Desenvolvimento de Itaquera (NDI), em recente reunião na Secretaria do Trabalho, tratou de assuntos relacionados à reabertura e revitalização do espaço. A previsão de reinício do projeto é para o segundo semestre deste ano. O que será de total importância para a população local, visitantes e investidores, que poderão vender seus produtos alimentícios através do projeto de incubadora, que só gera crescimento, aprendizagem e autovalorização do negócio.

 SOS: CET PEDE SOCORRO 

Todos sabem que as demandas são enormes no bairro de Itaquera (José Bonifácio, Parque do Carmo e Cidade Líder). Com a falta de efetivo e de material para suprir os problemas, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) não consegue reparar todas as lacunas. Deficiência na manutenção, falta de cabeamento e de reparo nos semáforos e placas, além da falta de pintura de solo, são algumas das prioridades. O mais grave é que, por conta dos semáfaros ficarem apagados, muitos acidentes acabam acontecendo e colocando a vida das pessoas em risco, a todo momento. Para completar a situação, a CET ainda deve correr atrás de todo o prejuízo causado pelos furtos de fios, cabos e outros equipamentos.

 DESCASO COM A JACU-PÊSSEGO 

Um dos mais importantes eixos viários da Zona Leste, a Avenida Jacu-Pêssego, no trecho que está sob a zeladoria da Prefeitura Regional Itaquera, continua um caos. Os problemas de falta de limpeza, iluminação, corte de mato e das moradias irregulares no canteiro central, já foram alvo de matéria do Jornal Desenvolve Itaquera. Mas, até o momento, não foi desenvolvida nenhuma ação emergencial nesta importante via de deslocamento. Pergunta: quando a Avenida Jacu-Pêssego será um modelo de desenvolvimento local?

 

 ENCHENTES: E OS PISCINÕES? 

Em maio deste ano, a moradora de Itaquera e leitora do Jornal Desenvolve Itaquera, Claudia Guisso, encaminhou fotos que servem de alerta para o que acontece todo ano no bairro: as enchentes. Vale destacar que o problema é recorrente há anos. No caso específico da leitora, ela se referiu à Rua Padre Veigas de Menezes, na altura entre os números 200 e 280. A imagem impressiona. Mas Itaquera tem muitos outros pontos de alagamento. Eles são encontrados em locais onde há invasões e também na região central. Para solucionar esta questão, o bairro precisa dos projetos de construção de dois piscinões, para o escoamento do córrego Rio Verde e do córrego Jacu. Eles poderiam ajudar na contenção da água antes que ela chegue aos referidos córregos, evitando refluxo e alagamentos em alguns endereços.

 BRT: SÓ NO PAPEL 

Na verdade trata-se de um importante corredor de ônibus que, quando estiver pronto, fará interligações fundamentais não apenas para o crescimento da região, mas irá melhorar a locomoção de moradores e trabalhadores. Com paradas estratégicas e contando com seis estações na Avenida Jacu-Pêssego, sendo uma na estação transferência Dom Bosco da CPTM, o projeto era para ter sido concluído para atender à Copa de 2014. Em reunião realizada recentemente na EMTU, o Dr. Roberto Manna, presidente das Entidades CDLI e NDI, se comprometeu em ficar em cima das secretarias responsáveis, fiscalizando e cobrando, para que as obras tenham início o mais rápido possível.

 CANSADOS DO BLÁ-BLÁ-BLÁ 

Itaquera poderia estar bem melhor se não servisse apenas de palanque para políticos. Isso porque muitos vieram na época da Copa, outros somente nas eleições, e aproveitaram de todo o “oba-oba” instalado e nada fizeram efetivamente para o bairro. Alguns, segundo as Entidades locais, não são da região, mas buscam em Itaquera cargos públicos dentro da máquina política. O Itaquerense está cansado disso! Que os vereadores e políticos venham, sim, mas com ações que desfaçam todas as burocracias que impedem o crescimento de Itaquera. O bairro não precisa de vereadores desconhecidos ofertando cargos sem utilidade para o desenvolvimento da região. Para as Entidades, há décadas ex-gestores, vereadores e pessoas com vários cargos “sucateiam” a região. Não basta os vereadores e políticos morarem no bairro.

 E O SISTEMA BINÁRIO? 

Como já mencionado em outras edições do Jornal Desenvolve Itaquera, um bairro sem um sistema viário que ajude a escoar as mercadorias e as produções em larga escala não é atrativo para grandes investidores. Embora Itaquera tenha o privilégio de estar cercada por importantes eixos viários, não tem os olhares das grandes corporações devido a um Sistema Viário ultrapassado e inadequado. As ruas estreitas, na sua grande maioria, dificultam a passagem de grandes veículos. E, mais uma vez, a Rua Harry Dannemberg segue como “coringa” para sanar esta questão. Isso porque é através dela que o mais importante Projeto de Sistema Binário do bairro poderá ser viabilizado, ao ligar a Rua Tomazzo Ferrara à Avenida Aricanduva. O Sistema Binário também poderia ser implantado nas ruas São Teodoro e Augusto Carlos Bauman. Nestes dois casos, sem a necessidade de desapropriações, pois a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) tem à disposição ruas paralelas para disponibilizar uma mão de ida e outra de volta. A melhora do Sistema Viário também é uma luta das Entidades NDI e CDLI.

 EDUCAÇÃO NO VERMELHO 

Os moradores solicitam às Secretarias Municipal e Estadual da Educação mais atenção às escolas da região. Há uma grande demanda por vagas e a qualidade do ensino está em baixa. Os entornos das unidades nem sempre são atrativos e também há problemas nos calçamentos, na sua maioria. Além disso, uma das mais importantes obras da região encontra-se parada: a do CEU Parque do Carmo. Moradores próximos estão preocupados com a não finalização do projeto, principalmente por conta da falta de segurança no seu entorno. Se faz necessária imediatamente a intervenção da Guarda Civil Metropolitana (GCM) e da Polícia Militar (PM) através do aumento das rondas no período da noite e na madrugada. Outra reivindicação é o apoio da Prefeitura Regional, junto à Prefeitura, quanto à importância do término desta obra para a região.

 MUTIRÕES SÃO A SOLUÇÃO? 

Os mutirões são importantes, mas a sua responsabilidade e iniciativa não podem ser esperadas da população, como vem acontecendo. Existem procedimentos em que, apesar da boa vontade, o cidadão comum não pode participar, em razão do perigo de não estar devidamente treinado e equipado com EPIs, podendo se envolver em acidentes. Há portanto a necessidade de uma contrapartida do poder público para arcar com treinamentos, custos pessoais e de proteção. Além de ter funcionários próprios ou terceirizados com qualificação para realizar as operações. Vale lembrar que Itaquera apoiou o candidato João Doria. Atualmente o bairro se encontra em total abandono pelas Prefeituras Municipal e Regional.

 DESAPROPRIAÇÕES EMPERRAM CRESCIMENTO 

As Entidades NDI e CDLI pedem a atenção da Prefeitura para a seguinte questão: ou as desapropriações acontecem de vez em Itaquera ou se retira imediatamente as inúmeras áreas que são declaradas como de utilidade pública há anos, na região. Isso porque estes mesmos endereços estão bem longe de receber as obras viárias que poderiam alavancar o desenvolvimento local. A Rua Harry Dannemberg é um exemplo clássico do que vem acontecendo com este impasse: a degradação de sua ligação. Os investimentos não ocorrem por um motivo muito simples: quem tem comércio no endereço não investe com medo de perder tudo, caso a Prefeitura resolva pedir o terreno. Isso também gera outro problema: as invasões. Na Rua Harry Dannemberg tem até prédio inacabado que foi tomado por vários moradores. Na Ladeira do Xisto invasões estão no início, mas o perigo é iminente. O que se espera desta nova gestão é a intervenção para que se tome uma solução o quanto antes.

 À ESPERA DE RESPOSTAS 

As Entidades NDI e CDLI (que representam mais de 130 Entidades e mais de 50 formadores de opinião) estão cansadas de esperar por respostas das Secretarias Municipais do Verde e do Meio Ambiente, de Coordenação de Prefeituras Regionais, da Educação, da Saúde, entre outras, quanto às demandas e intervenções de grande porte. Todos os pedidos são embasados nas necessidades da comunidade, que procuram estas Entidades. Mas, mesmo com todo este “peso”, as demandas parecem não ter tanta relevância para as autoridades competentes.

 MEIO AMBIENTE ESTÁ ESQUECIDO 

Este é outro problema sério que a região enfrenta. A nascente do Rio Verde, na Rua Arcádia Paulistana, é um dos exemplos de que o meio ambiente no bairro não é levado a sério. O local está repleto de mato e o abandono chega a ser visível. Mais adiante, o que se vê é um córrego sem vida e cercado por invasões. Já na altura da Avenida Líder, recentemente suas margens não resistiram às fortes chuvas e caíram, levando parte do calçamento e do asfalto. Uma obra de contenção vem sendo feita pela Prefeitura Regional Itaquera, mas é preciso dar a atenção devida a todo o córrego Rio Verde. Vale lembrar também que já era para ter sido implantado o Projeto do Parque Linear, com arborização, espaço de lazer e ciclofaixa. A demora em fazer acontecer este projeto vem sendo observada de perto pelas Entidades NDI e CDLI.

 DECEPÇÃO COM A PREFEITURA REGIONAL 

Várias são as queixas e reclamações apresentadas pela população local sobre a gestão da Prefeitura Regional Itaquera. Nos canais de comunicação do Jornal Desenvolve Itaquera, nas redes sociais e Whattsapp, as principais queixas são apatia, inércia e o despreparo técnico. Para muitos, as reclamações devem ser intermediadas com mais agilidade, pois a maioria não pode esperar por longos períodos para serem atendidas. Caso da zeladoria dos bairros que sofrem com situações que demandam atendimentos básicos, como a manutenção das praças, serviços de tapa-buraco, limpeza das ruas, poda de árvores, entre outros. Nesta gestão criou-se a expectativa de uma mudança. Mas o que se vê junto à população é que tudo continua da mesma forma.

DEIXAR UMA RESPOSTA